Mulher condenada após organizar ônibus para atos golpistas em Brasília quebra tornozeleira e vira foragida da Justiça

  • 14/05/2024
(Foto: Reprodução)
Fátima Aparecida Pleti foi condenada pelo STF a 17 anos pela participação nos atos golpistas de 8 de janeiro de 2023, após ter organizado um ônibus de Bauru (SP) até Brasília (DF). Desde o dia 26 de março deste ano, ela não comparece à Justiça e está sem equipamento eletrônico de monitoramento. Fátima Pleti é ré no processo do ataque às sedes dos Três Poderes em Brasília (DF) Reprodução/Facebook A mulher condenada por participar dos ataques terroristas às sedes dos Três Poderes, após organizar um ônibus de Bauru, no interior de SP, até Brasília (DF), quebrou a tornozeleira eletrônica e é considerada foragida da Justiça. 📲 Participe do canal do g1 Bauru e Marília no WhatsApp Por maioria no Supremo Tribunal Federal (STF), Fátima Aparecida Pleti foi condenada a 17 anos pela participação nos atos golpistas de 8 de janeiro de 2023 pelos crimes de associação criminosa, ataque à democracia e tentativa de golpe de estado, além de dano qualificado e grave ameaça ao patrimônio da União. O período da pena inclui 15 anos e seis meses de reclusão, que pode ser cumprido em regime fechado, semiaberto ou aberto, e um ano e seis meses de detenção, que não admite o regime fechado e é cumprido em semiaberto. Na condenação dela, também foi determinado o pagamento de 100 dias-multa, no valor de ⅓ do salário mínimo, além da indenização por danos morais coletivos no valor de R$ 30 milhões, que será distribuído entre todos os condenados pelos atos. A mulher, detida ainda em janeiro do ano passado, logo após os atos antidemocráticos, ficando presa na Penitenciária Feminina do Distrito Federal (PFDF), conhecida como Colmeia, conseguiu liberdade condicional mediante o uso de tornozeleira, em agosto do ano passado. Mulher que organizou ônibus de Bauru até Brasília esteve entre os presos após atos terroristas Reprodução/Facebook De acordo com o processo contra ela, quatro dias após o início do seu julgamento no STF, em março deste ano, Fátima rompeu o equipamento eletrônico de monitoração, tendo a autoridade penitenciária do Governo de São Paulo informado o fato ao Judiciário duas semanas depois. No dia 8 de abril deste ano, o Judiciário estadual de SP informou ao STF sobre a quebra da tornozeleira. Além disso, a Justiça aponta que Fátima não está se apresentando à Comarca de Bauru desde o dia 26 de março deste ano. Não há mandado de prisão público. O g1 tenta contato com a defesa de Fátima Aparecida Pleti, mas não conseguiu até a publicação desta reportagem. A reportagem também entrou contato com a Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) e o STF, mas ainda não obteve retorno. Ônibus para Brasília A mulher organizou um ônibus de Bauru até Brasília. Fátima fez um post nas redes sociais com horários e locais de partida dos veículos. Além disso, escreveu que estava em busca de verba para a hospedagem em local próximo às sedes dos Três Poderes. Mulher que organizou ônibus de Bauru até Brasília está entre os presos após atos terroristas Reprodução/Facebook Conforme a Secretaria de Administração Penitenciária do Distrito Federal, Fátima Aparecida Pletti, de 62 anos, foi presa em flagrante e ficou detida por sete meses na Penitenciária Feminina do Distrito Federal (PFDF), conhecida como Colmeia. Antes do início do julgamento, em março deste ano, Fátima teve a liberdade provisória concedida pelo ministro Alexandre de Moraes, no dia 7 de agosto de 2023. Para manter a liberdade condicional, ela precisava usar tornozeleira eletrônica, se apresentar semanalmente ao juiz da Comarca de Bauru e não podia sair do país, tendo de entregar o passaporte à Justiça. Fátima também esteve proibida de usar redes sociais e de se comunicar por qualquer meio com os outros envolvidos no ataque. Ainda de acordo com a decisão do STF, o descumprimento de quaisquer dessas medidas levaria à revogação da liberdade provisória. Bauruense que organizou ônibus até Brasília esteve entre os presos após atos terroristas Reprodução/Facebook Veja mais notícias da região no g1 Bauru e Marília Confira mais notícias do centro-oeste paulista:

FONTE: https://g1.globo.com/sp/bauru-marilia/noticia/2024/05/14/mulher-condenada-apos-organizar-onibus-para-atos-golpistas-em-brasilia-quebra-tornozeleira-e-vira-foragida-da-justica.ghtml


#Compartilhe

Aplicativos


Locutor no Ar

Peça Sua Música

No momento todos os nossos apresentadores estão offline, tente novamente mais tarde, obrigado!

Top 5

top1
1. A culpa é nossa

Maiara e Maraisa

top2
2. Palhaça

Naiara Azevedo

top3
3. Manda um oi

Guilherme Benuto e Simone Mendes

top4
4. Solteiro forçado

Ana Castela

top5
5. Erro gostoso

Simone Mendes

Anunciantes